22 de novembro de 2009

Sai Baba - um deus encarnado (parte I)

Conheça a história de Sai Baba, o avatar que faz surgir do nada objetos e até alimentos, curar doentes e ressuscitar mortos. O Mestre Interior apresenta o que o jornalista Roy Stemman escreveu sobre alguns dos milagres desse santo hindu.

Um homem pequeno, de cabelos pretos e crespos, vestido com uma túnica vermelha, monopoliza o interesse de uma pequena multidão. Todos observam com ansiedade. Segundos depois, voltando a palma da mão para baixo, o homem começava a move-la em círculos. Quando vira de novo para cima, apresenta um belo colar de ouro. O público fica deslumbrado. Satyanarayana Sai Baba realizou mais um milagre. O colar era apenas um dentre os mais de 10.000 objetos (diamantes, anéis de ouro, contas, livros, ídolos religiosos e até alimentos) que ele materializou dessa maneira.

Os milagres produzidos por Satyanarayana Sai Baba são tão incríveis que muita gente tem dificuldade em acreditar. Mas as testemunhas que se apresentam para confirmar seus poderes extraordinários são pessoas bastante credenciadas - altos funcionários do governo, cientistas e líderes religiosos.

Os seguidores desse santo hindu atingem dezenas de milhares em todo mundo. Mas a maioria dos crentes vive na Índia, seu país de origem, que conta atualmente com mais de 3.000 mil centros e cinco universidades. Sai para promover os ensinamentos do mestre.

Muitos dos devotos de Sai Baba consideram-no um avatar, ou seja, um deus encxarnado. Colin Wilson o classifica como “um santo hindu da atualidade”. E outros que escreveram a seu respeito encontram muitos paralelos entre seus milagres e os de Cristo.

Ao nascer, no dia 23 de novembro de 1926, Satyanarayana Raju era uma criança robusta e normal. Mas ainda menino despertava curiosidade por se recusar a comer carne e ter o costume de trazer mendigos para se alimentar na casa de seus pais. Na escola era muito alegre e popular. Liderava as outras crianças, a maioria atraída por sua capacidade de retirar doces ou objetos de um saco vazio.

Apesar desses primeiros sinais de que ele era uma pessoa fora do comum, a família Raju nutria esperanças de que o filho estudasse e se tornasse importante funcionário do governo.

Um incidente ocorrido quando Satyanarayana Raju tinha treze anos de idade marcou o momento crucial de sua vida.


O garoto caminhava com alguns amigos quando subitamente deu um salto, soltando um grito lancinante ao mesmo tempo que segurava um dedo do pé. Os companheiros pensaram que um escorpião o picara, mas no dia seguinte ele não aprentou nenhum sintoma típico. Ao anoitecer, no entanto, caiu no chão, inconsciente. No dia seguinte, quando acordou, o menino parecia outra pessoa: entoava cânticos, recitava poesias e citava longas passagens em sânscrito que estavam completamaente fora do alcance de seu conhecimento.

Preocupados, os pais consultaram diversos médicos, que prescreveram diferentes remédios para o garoto. Porém,como ele não “melhorava”, providenciaram um exorcista para expulsar o “demônio” que dele tinha se apoderado. Satyanarayana enfrentou tudo com coragem e sem hesitação, não demonstrando nenhum sinal de sofrimenteo ante o tratamento chocante administrado pelo exorcista.

Certa manhã, enquanto o pai estava trabalhando em sua loja, o menino reuniu os familiares e, agitando a mão, fez surgir balas e flores. Quando os vizinhos souberam o que havia acontecido, foram a sua casa e obrigaram-no a repetir suas “mágicas”. Ao ter conhecimento de que seu filho fazia esses “truques esconjurados”, o pai apanhou um pedaço de pau para castigar o teimoso:

__ Isso já é demais! Você tem que parar! Quem é você? Diga-me! Um fantasma, um deus ou um louco?
O menino olhou para o pai e respondeu:
__ Eu sou Sai Baba.
E dirigindo-se aos presentes, acrescentou:
__ Eu vim para resolver seus problemas. Manter suas casas limpas e puras.

A família ficou confusa. Quem seria esse tal de Sai Baba? Alguns dos presentes já tinham ouvido falar naquele nome. Sai Baba foi um santo hindu que realizou muitos milagres, tornando-se conhecido sobretudo por curar doentes. Sai Baba havia morrido em 1918, mas dissera a seus fiéis que nasceria de novo. Tal promessa foi aparentemente cumprida com o nascimento de Satyanarayana, oito anos mais tarde.
Poucas pessoas acreditaram nessa versão. E, para tirar qualquer dúvida, alguém o desafiou a provar que era realmente Sai Baba.

O menino aceitou e pediu:
__ Tragam-me aquelas flores de jasmim.
Então, jogou-as no chão e, para surpresa de todos, as flores espalharam-se em forma de letras, desenhando as palavras “Sai Baba”.
Satyanarayana também teve a oportunidade de defrontar-se com discípulos de Sai Baba de Shirdi (foto ao lado) e invariavelmente os reconhecia. Certa vez pegou uma fotografia das mãos de uma pessoa, olhou-a e disse o nome que nunca tinha visto. Acrescentou que a pessoa da foto era um tio do visitante:

__ O irmão mais velho de seu pai e meu antigo devoto em Shirdi.
Muita agente, no entanto, não se importa em saber se Satyanarayana é ou não uma reencarnação do antigo santo hindu. Seus poderes não deixam dúvidas de que ele é realmente uma pessoa muito especial.

Um milagre muito comum de Sai Baba consiste na materialização de cinza sagrada (vibhuti), às vezes extraída do ar e espalhada nas mãos dos visitantes e em outras ocasiões derramada de uma urna vazia na qual ele havia colocado as mãos. Essa cinza tem uma grande variedade de usos. Em geral, Sai Baba manda que seus seguidores a comam - dizem que ela já curou muitas doenças.

É a materialização de objetos sólidos, no entanto, que leva a crença a seuS extremos. Os céticos alegam que qualquer mágico competente pode fazer objetos surgirem “do nada”. Mas os dons de Sai Baba são do tipo diferente. Costuma pedir às pessoas que digam o que gostariam que materializasse - e então extrai exatamente os objetos desejados do ar ou das “Lojas Sai”, como chama, em tom de brincadeira, a dimensão invisível de onde eles provém. Howard Murphet coletou para o seu livro inúmeros relatos em seu livro "Sai Baba - o homem dos milagres". (continua)



Perfil do Autor:
Pryom Meu nome é Pryom. Sou Numerólogo, Sacerdote Espiritualista, Filho fiel de Xangô e adepto de uma religião chamada Honestidade. Se quiser saber mais sobre mim clique aqui. Se gostou do blog assine agora para receber gratuitamente os próximos artigos.

0 comentários :

Postar um comentário