6 de julho de 1997

3 com 6

Os parceiros se completam, mas a relação pode se tornar paternal, pois o 3 quer ser cuidado e corre o risco de agir como eterna criança junto ao 6, que gosta de ser o paizão ou a mãezona. Os conflitos surgem quando alguém rompe com seu “papel”. Para o equilíbrio, o 6 deve paparicar menos o 3 e este precisa resolver sozinho seus problemas.